Inner Bodies (2005)

Inner Bodies (2005)


“Inner Bodies" é construído sobre o “esqueleto" do som, isto é, na série de harmónicos, e nos seus factores.

De facto esta obra tem como fontes sons analógicos (DOEPFER A100) e nos processos manipulativos do MAX/MSP.


E é de facto surpreendente o carácter evocativo da ambiência musical: através do conceito do exploração do interior do som, este também explora o ouvinte, na exposição e manipulação de sentimentos e sensações.